ECONOMIA AGRÁRIA

Objectivos do Curso

Este curso tem por objectivos, os seguintes:
1. Formar graduados com elevado grau de qualificação e que se sintam preparados e confortáveis para compreender as questões científicas, técnicas, sociais e políticas relacionadas com a economia e com o agro-negócio;
2. Permitir que os graduados desenvolvam competências mais valorizadas pelo mercado de trabalho, como sejam: a autonomia e a iniciativa; as capacidades de análise e de síntese; a capacidade de trabalhar em grupo; a preocupação com o rigor e a qualidade; a capacidade para trabalhar a informação; a habilidade para resolver problemas e adaptar-se a situações novas;
3. Garantir excelente colocação dos estudantes do curso de Economia Agrária no mercado de trabalho, formando economistas competentes dotados de bases científico-culturais sólidas, acompanhados duma visão pluralista e preparados para identificarem o meio em que vão actuar e nele interferirem com eficiência, responsabilidade e sustentabilidade;
4. Incentivar a investigação científica, tecnológica e cultural como meio de formulação de soluções dos problemas económicos com relevância na sociedade e de apoio ao desenvolvimento do país;
5. Proporcionar uma formação não simplesmente aquela que conduza à obtenção de um título académico, mas aquela que permita desenvolver no formando a visão de empreendedorismo;
6. Permitir que os estudantes da licenciatura neste curso possam no futuro tirar partido da diversidade de áreas disciplinares que são ensinadas e investigadas na instituição. Se assim o desejarem, podem frequentar cadeiras dum conjunto alargado doutros domínios (Contabilidade e Auditoria, Gestão e Finanças Públicas).

Mercado de Trabalho (Saídas profissionais)

Um dos objectivos primordiais deste curso é garantir a excelente colocação dos estudantes no mercado de trabalho através da formação de graduados com elevadas competências técnicas em áreas económicas e agro- negócios, esperando-se que para além destes criarem o auto-emprego, possam ser absorvidos preferencialmente pelos (as):
• Empresas actuando em agro-negócio;
• Entidades empresariais e associativas: bancos e outras instituições financeiras;
• Empresas de consultoria e auditoria, associações empresariais e outras empresas.
• Ministérios;
• Autarquias locais (municípios);
• Agências de desenvolvimento regionais;
• Serviços de planeamento, institutos públicos nas áreas da economia, da estatística, do emprego e da formação profissional;
• Organizações Não-Governamentais (ONGs) e organizações internacionais;
• Instituições de ensino superior públicas e privadas.

Perfil do Economista Agrário

O licenciado é preparado para compreender as questões científicas, económicas, administrativas, sociais e políticas relacionadas com a conjuntura económica actual. Na sua sólida formação teórica e prática, há ênfase em questões relativas ao agro- negócio, em desenvolvimento económico e gestão de recursos naturais,nichos de mercados importantes nos dias de hoje. O economista agrário necessita de:

  • Sólida base de conhecimentos em ciências exactas (Matemática e Estatística) e amplo domínio da ciência económica.
  • Amplo conhecimento dos diferentes mercados e dos instrumentos de política económica.
  • Capacidade de empreender.
  • Capacidade de identificar, analisar problemas e propôr soluções objectivas de ordem económica, organizacional e operacional.
  • Competência no campo profissional para a implantação de políticas públicas/empresariais.

 

Perfil do Graduado

Depois da formação, o graduado em Economia Agrária deve evidenciar os seguintes atributos:

  • Ser pertinente e trazer valor acrescentado;
  • Ter capacidade de desenvolver e implementar sistemas e soluções para a área de agro- negócio empresarial, entidades públicas e organizações não-governamentais;
  • Ter capacidade de tomar decisões e de resolver problemas face a realidade diversificada e em constante transformação;
  • Ter capacidade para planificar, orientar e controlar as actividades agro-económicas com elevado sentido de responsabilidade, isenção, sigilo e ética profissional;
  • Ter capacidade analítica, visão crítica, pró-actividade e competência para adquirir novos conhecimentos face aos progressos que se registam no domínio do agro-negócio;
  • Ter domínio das habilidades relativas à efectiva comunicação, à expressão oral e à expressão escrita;
  • Ter capacidade de empreendedor;
  • Ter capacidade de identificar, analisar problemas e propôr soluções objectivas de ordem financeira, gerencial, organizacional e operacional;
  • Desenvolver pesquisas e prestar assistência técnica a grandes, médias e pequenas empresas;
  • Apresentar uma conduta profissional e cívica que exalte o espírito de cidadania, nobreza de carácter e responsabilidade partilhada, consciente do dever de servir a sociedade.

 

Estrutura e duração do curso

A estrutura curricular do Curso de Economia Agrária totaliza 8 semestres de 16 semanas cada e compõe-se de 43 disciplinas obrigatórias incluindo o estágio académico (de forma paulatina serão incorporadas no futuro disciplinas opcionais) e 4 seminários anuais obrigatórios ligados à economia e às ciências agrárias em termos de fundamentos ou princípios.

Comentários fechados.